Dezembro
seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sab.
dom.
4
11
18
25
5
12
19
26
6
13
20
27
7
14
21
28
1
8
15
22
29
2
9
16
23
30
3
10
17
24
Groselha.com


Amareleja foi a terra que viu nascer os “Groselha.com”, em 2007. Os membros fundadores do grupo, Flávio Robles, trombone e voz, e Jorge Ferreira, teclas e voz, tinham na altura 15 e 13 anos, respectivamente.

 

A sua juventude foi motivo para algumas críticas iniciais que, no entanto, nunca os fizeram desistir. Aliás, o próprio nome do grupo está relacionado com esse facto. Contam que, em Amareleja, há um grupo musical com o nome Ballantines (marca de whisky), cujos membros diziam que eles eram muito novos para tomarem bebidas como esta, começando então a chamar-lhes “groselha”. Flávio e Jorge acharam graça e adoptaram o nome para o grupo. O terceiro elemento, João Valido, baterista, de 27 anos, natural de Portel, tomou contacto com os Groselha através da transacção comercial de uma bateria que tinha para venda. Como o grupo precisava de um baterista, acabaram por convidá-lo.

 

Mais recentemente juntou-se ao grupo Tiago Valente, viola baixo, de 18 anos, também natural de Amareleja. Os quatro têm contacto com a música desde muito cedo: Flávio, Jorge e Tiago tocam na Banda Filarmónica de Amareleja e João tocou durante 10 anos na Banda do Exército e, actualmente sem emprego, toca na Banda Filarmónica de Portel e noutras filarmónicas da região que frequentemente o convidam. Já fez parte também do conjunto musical “Aquarius” e à banda de rock “Station”, da Vendinha.

 

Desde a sua criação que os “Groselha.Com” tocam em bares, festas diversas como mastros populares, casamentos e baptizados. A média de espectáculos por ano ronda os 60, com principal incidência na região Alentejo.

 

Todo o dinheiro que ganham nos espectáculos é investido no próprio grupo. Desta forma já conseguiram adquirir os instrumentos e compraram uma carrinha para as deslocações.

 

Afirmam estar na música de forma séria e, nesse sentido, começaram também a compor as suas próprias músicas. Flávio e Jorge são os elementos criativos. Dizem não absorver influências de ninguém, seguindo apenas o próprio instinto. Embora aquilo que compõem tenha uma tendência marcadamente pop, isso não implica que, se for essa a inspiração no momento, não possam compor um fado. Para eles o que interessa mesmo é a música em si.

 

E foi este labor constante, o nunca estarem parados, que os levou a um estúdio em Évora, para a gravação de um CD com 10 músicas originais, que deverá ser lançado em Amareleja, no mês de Agosto. Em simultâneo estão a preparar a gravação de um vídeo-clip de uma das canções do CD. O passo a seguir será a divulgação deste trabalho junto de rádios e televisões, empresas de espectáculos e editoras discográficas. Para já, a divulgação do trabalho dos “Groselha.Com” é feito no site que criaram para esse efeito, onde podem ser encontrados vídeos de actuações e de ensaios, as datas e locais dos espectáculos e outras informações sobre o grupo.

 

Todos os elementos querem um dia viver apenas da música. Flávio Robles candidatou-se à universidade de Évora para fazer a licenciatura em Trombone. Por seu lado, Jorge Ferreira frequenta o 10.º ano de escolaridade e Tiago Valente está no 11.º ano, mas ambos ficarão apenas com o ensino secundário se o projecto musical vingar. Para João Valido o objectivo é o mesmo: dedica-se quase a cem por cento ao grupo e à banda filarmónica, e está a trabalhar em maquetes para apresentar às editoras discográficas.

 

Todos são unânimes em afirmar que não é a fama que os move, porque para eles “…o mais importante é a música, fazer um bom espectáculo. A fama é importante, mas não é a nossa prioridade”.

 

 
Tlf.: 967 634 840 (Flávio Robles)